ARENA BRUTA – Rodeio com mais conteúdo

O melhor conteúdo sobre o verdadeiro esporte do Cowboy

Arena em Debate 55: O primeiro debate do ano

O PRIMEIRO ARENA EM DEBATE DO ANO FAZ UMA RETROSPECTIVA DE TUDO O QUE ACONTECEU NO RODEIO DURANTE O MÊS DE JANEIRO, DO BRASIL AO CANADÁ

Depois das férias está de volta a discussão de rodeio mais popular e polêmica do rodeio. O Arena em Debate, chega na primeira edição de 2014, com os assuntos da semana, incluindo PBR, Mike Lee, PRCA, Trevor Brazile, Ekip Rozeta, IPR, Rancho Primavera, PBR Brazil, ou seja, é assunto que não acaba mais. Confira!

Eugênio José: Abner Henrique estamos de volta. Como também está de volta a PBR/USA. Por lá já se foram quatro etapas. Todo inicio de temporada, se falam nos candidatos ao título! Silvano Alves, J. B. Mauney, Eduardo Aparecido, Etc, Etc, Ninguém falou em Mike Lee. Ele lidera após quatro etapas, e não lidera por acaso. São 73% de aproveitamento. Entrou em todas as finais em 2014, e sua pior posição foi um nono lugar. Porque ninguém falou nele? É uma surpresa, mesmo sendo veterano? O que aconteceu com Mike Lee?

Abner Henrique: Se você definir os candidatos ao título apenas pelo talento, certamente ele era candidato todos os anos, porque é um cara que sabe montar em touros como poucos. Mas pra ganhar o título mundial da PBR é preciso mais que talento, é preciso vontade, foco e eu sempre tive a impressão que o Mike Lee montava apenas para se manter na PBR, ganhar um dinheiro. Ele já ficou nove vezes entre os 15 melhores do ano e isso não é qualquer um que consegue, mas pra mim ele não entrava pra brigar pela fivela de ouro. Então, chega a ser surpresa sim, porque ele está focado, está com vontade de se tornar bi-campeão mundial e vai dar trabalho este ano. Agora, Eugênio José, depois do Chase Outlaw, muito se falava em Jory Markiss como nome novo no time norte-americano. Este fim de semana quem roubou a cena foi Nathan Shapper, que hoje tem o melhor aproveitamento da PBR (75% de paradas). É candidato ao TOP 5 em outubro, ou é só fase?

EJ: Fica difícil falar sobre Nathan Schaper. Ele teve um bom touro na final e teve garra para vencer, mas, não teve técnica. Prefiro esperar, embora seja novo e com muito gás e possibilidades de vencer. Como agora temos poucos rodeios no Brasil acabo tendo a oportunidade de assistir na íntegra as etapas da PBR. Tenho gosta muito de Stormy Wing. Ele está uma posição atrás de Schaper, sétimo, mas, tenho gostado pela forma de montar. Para mim, ele Wing, tem ido para cima dos touros. Aliás, Mile Lee, Sean Willingham, Cody Nance e o Canadense Ty Pozzobon tem mostrado essa vontade, essa performance de brigador. Mas, hoje eu destacaria Stormy Wing. Vamos mudar para PRCA agora. Demorou mas apareceu onovo parceiro de Trevor Brazile no Laço em Dupla: Travis Graves. E já veio com uma vitória significativa, venceram Denver. Quem é esse “pezeiro” Abner

AH: Brazile já começa a temporada a todo vapor. Um dos motivos da separação de Patrick Smith, segundo ele é para não prejudicar seu parceiro, já que pretendia se dedicar menos ao Laço em Dupla e mais as outras modalidades. Mas pelo que parece ele vai pegar firme em 2014. Travis Graves foi 3° colocado em 2013 na categoria pezeiro e na Final Mundial competiu com Kalleb Driggers, que agora faz dupla com Smith. Não sei se é parceria para o ano todo, mas caso Brazile decida mesmo competir em poucos eventos nesta modalidade, Graves não terá problemas. Ano passado ele ganhou rodeios com quatro parceiros diferentes, então quando Brazile não quiser competir, não vão lhe faltar companheiros. Com relação as outras modalidades, os competidores estão ainda pegando o ritmo da temporada 2014. Com exceção da montaria em touros, ninguém ainda ultrapassou os US$ 10 mil em prêmios. Tivemos alguns rodeios grandes em janeiro. Isso mostra uma certa regularidade entre os competidores?

EJ: Embora eu não entenda muito o porque disso, mas, a PRCA só se define mesmo, se falando de ranking de fevereiro para frente, mas, com importantes rodeios neste período, alguns panoramas já se mostram. Na modalidade touros, Cody Teel, voltou a liderança. Ele continuou montando em outubro e novembro, o que a maioria dos grande nomes não fazem. Liderou a temporada 2014 desde então. Semana passa perdeu a liderança e já voltou com tudo, voltando ao topo. Aaron Pass em quarto, J. W. Harris que até que enfim, apareceu já é o sétimo, são os nomes que destaco para candidato ao título no momento, o resto seria especulação, temos que espertar mais. Falando em especulação, Las Vegas continua com a NFR até 2024.

Seria isso um jogada de marketing da cúpula da PRCA para Las Vegas valorizar mais o contrato Abner? Comente esse caso para o público do Arena em Debate que as vezes não sabiam que este ‘seria’ o último ano dos Bretes amarelos da PRCA em Las Vegas.

AH: Pra quem não sabe, a NFR acontece em Las Vegas sob contrato, ou seja, a cidade paga para ter o evento, que gera muita receita aos cassinos e hotéis de Vegas. O atual contrato se encerra esse ano e uma pequena região da Flórida fez uma proposta maior para sediar a Final da PRCA a partir de 2015. Houve muitos protestos, principalmente por parte dos competidores, que até se uniram em uma espécie de sindicato. Las Vegas fez uma nova proposta, não chegou a quantia que a PRCA esperava, mas como ela é a única cidade hoje capaz de comportar a NFR, o martelo foi batido. O que sei é que o contrato envolve cerca de US$ 16 milhões anuais, parte em dinheiro, parte em publicidade durante o ano e o restante em incentivos como cessão dos locais de eventos, hotéis, etc. A boa notícia é que a premiação da NFR que hoje é de quase US$ 6.5 milhões passará a US$ 10 milhões em 2016. Pelo que li e entendi, nesse valor estão incluídos um bônus de US$ 10 mil a cada finalista. A PBR já faz isso desde a década de 90, mas paga US$ 5 mil a cada classificado para a Final Mundial.

Voltando ao Brasil, na semana que se passou tivemos novidades de um dos assuntos mais falados dos últimos tempos, a Final da PBR Brazil. Parece que teremos mais alguns meses de Campeonato pela frente, Eugênio José, até conhecermos o Campeão Nacional de 2013.

EJ: Sim no Brasil a coisa vai meio devagar no geral. Vamos sofrer este ano. Carnaval em Março, Copa do Mundo em Junho/Julho e Eleições em Outubro. Saiu matéria que a final da PBR Brasil, pode ser em Barretos. Acredito que isso possa acontecer, o atual presidente de Os Independentes, me confessou em entrevista que quis até fazer um BFTS, mas a PBR não tinha a data disponível mais para Barretos. O problema disso, e a culpa é do Brasil, e não da PBR, é que aqui não se tem a cultura da final. Então os campeonatos vão sempre ficar rodando, de canto em canto. Falando em campeonato, e rodar por ai, a IPR, estará fazendo final 2012/2013, em São João da Barra no Rio de Janeiro, no próximo mês. E continuando no Brasil e nos campeonatos, aconteceu em Santa Cruz do Rio Pardo (SP), etapa da Ekip Rozeta e Rancho Primavera juntos., no mesmo local. Nos EUA, muitos eventos fazem PRCA e PBR juntos ou CBR, e isso precisa mais no Brasil, essa imparcialidade, como vimos Abner na final da Ekip Rozeta, vários profissionais de diversos seguimentos e campeonatos juntos. Falando em parceira, os dois países mais tradicionais no rodeio, EUA e Canadá, através da PRCA e CPRA fecharam mais três anos de parceria como funciona isso Abner?

AH: Eu considero um passo super importante a Ekip Rozeta  e a Rancho Primavera realizarem etapas conjuntas. No Brasil confunde-se muito CONCORRÊNCIA com RIVALIDADE. Os dois campeonatos são concorrentes em certos aspectos, mas provaram que não são rivais. Dividiram a etapa e saiu tudo muito bem. Como você disse, em outros países isso já acontece e quem ganha é o rodeio. Aqui há dois fatores que impedem essas fusões. O primeiro é que certas pessoas criam entidades e passam a se achar donos do rodeio e não aceitam que existam outros campeonatos, quem dirá dividir espaço com eles. O outro fator são as marcas que estão por trás de algum campeonato, normalmente rivais, então torna-se o compartilhamento de arena. Um bom exemplo na América do Norte é este que você citou, entre a CPRA, principal entidade do rodeio canadense e a PRCA. O que acontece é que as maiores etapas da CPRA valem pontos (dólares) também para o mundial da PRCA. Assim, os canadenses garantem que seus principais atletas estejam competindo na PRCA, sem abandonar o país e ao mesmo tempo garante a participação dos melhores do mundo em seus eventos, o que é claro, fortalece ainda mais o Rodeio no Canadá.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Informação

Publicado em 30 de janeiro de 2014 por em Arena em Debate.

Navegação

%d blogueiros gostam disto: