ARENA BRUTA – Rodeio com mais conteúdo

O melhor conteúdo sobre o verdadeiro esporte do Cowboy

Arena em Debate 50: Polêmicas da semana

NA EDIÇÃO HISTÓRICA DE 50 SEMANAS O ARENA EM DEBATE É ESPECIAL, FALANDO DE ASSUNTOS POLÊMICOS E OS COLUNISTAS ABNER HENRIQUE E EUGÊNIO JOSÉ FAZENDO UMA ANÁLISE DE QUASE UM ANO DESTE QUADRO

As vésperas de completar um ano, o Arena em Debate entra em clima de comemoração, após 50 semanas consecutivas falando sobre rodeio. Nesta semana, não faltou polêmica e nem as tradicionais provocações entre Abner Henrique e Eugênio José

Eugênio José: Não poderia começar este Arena em Debate, na semana que antecede um ano do Arena em Debate, sem mencionar a NFR – National Finals Rodeo, a final mundial da PRCA – Professional Rodeo Association. O maior, melhor, mais antigo e o mais completo campeonato de rodeio do mundo, doa em quem doer, essa é verdade. Os “Yellow Chute” (brete amarelos) abrem na próxima semana Abner, exatamente um dia depois do primeiro aniversário do Arena em Debate, não podíamos comemorar em data tão especial. Mas, vamos falar do Arena em Debate. Além de ter que ficar conversando comigo mais tempo (nada agradável), o que mudou na sua vida após o Arena em Debate.

Abner Henrique: Poderia resumir em uma frase que ouvi várias vezes em um dos rodeios que fui esse ano. Quando eu fui apresentado para alguns profissionais conhecidos do rodeio, praticamente todos disseram: “Ahh, aquele que faz aquelas polêmicas com o Eugênio José.” Enfim, creio que se alguém sabe quem é o Abner Henrique hoje, 90% é por causa do Arena em Debate. Mas nem só de polêmicas esse quadro é feito (risos). Aqui podemos conversar, brincar, cobrar, falar de todos os tipos de assuntos ligado ao rodeio, sempre de uma maneira diferente. O Arena em Debate foi uma ideia nova, diferente, ousada e que nós sabemos as dificuldades que enfrentamos em algumas semanas, mas estamos ai, caminhando para um ano, sem falhar uma semana. E que venham os próximos. Agora Eugênio José, me diz, no rodeio brasileiro há muitas retaliações, então te faço duas perguntas. Você já sentiu que foi prejudicado profissionalmente por algo que falou aqui e devido a isso ou não, você já se arrependeu de algo que escreveu no Arena em Debate?

EJ: Abner, aqui sempre falamos as coisas com fundamento e com verdade, e como você sabe, a verdade dói em algumas pessoas e/ou seguimentos. Não me arrependo de nada não, as vezes fico sim preocupado, das pessoas ficarem chateadas, uma vez que, já disse isso aqui: Ainda não estamos preparados para ser um esporte. Me arrependo talvez de não ter falado mais, porém, as vezes é preciso cautela, porque o rodeio as vezes é vingativo. Já vi muita gente rodar por causa de polêmicas, então da minha parte, e sei que você, concorda com isso, fazemos as coisas em cima de fundamentos, claro que, ousamos um pouco mais, porém, o motivo é deixar nosso esporte mais fortalecido. Na próxima semana, começa a final mundial da PRCA, a NFR, ano passado fizemos uma aposta ( Que não fui pago ainda), e você perdeu. Você acha que tem alguma chance esse ano, ou nem vai apostar mais?

AH: A aposta do ano anterior não foi paga porque o resultado ainda está sendo contestado no “tapetão”. Mas é claro que este ano terá uma nova aposta, desde que você não se importe em apostar novamente sem ter recebido a de um ano atrás. Confio no meu poder de observação. Ano passado escolhi o meu time (de apostas) baseado no que vi durante o ano e perdi, por pura sorte sua, que na maioria das modalidades não sabia em quem apostar e decidiu pelo “nome mais bonito”. Tenho isso registrado e você sabe que foi assim. Pura sorte. Por isso, esse ano não vou correr da aposta não e já tenho meus nomes, não os mais bonitos, mas os mais fortes. Falando em apostas, a NFR a cada ano, tradicionalmente aumenta sua premiação. Muita gente diz que ela está morta, sem público. Mas parece que os patrocinadores não pensam igual, afinal, todo ano o dinheiro aumenta, como você disse: doa a quem doer.

EJ: Mentira sua, isso só aconteceu com o Case Martim, mas, sou tão iluminado que até quando não sei quem é o cara o cara fica famoso. (Risos). Pois é Abner, isso é uma informação, muito importante, todos os anos, a premiação da PRCA sobre, lembro quando a melhor a noite era 12 mil dólares, hoje, já está em (???). A tradição é tradição e a força rural americana voltada ao rodeio é muito grande por isso a PRCA é a força que é. Claro, tanto lá como aqui, existe espaço para outros campeonatos, como a PBR, que é fruto de cowboys insatisfeitos da PRCA. Em resumo, existe o espaço para uma PBR virar o que virou, o maior campeonato de MONTARIAS EM TOUROS, mas, não há como uma única modalidade ser maior que a PRCA, que predomina no rodeio completo. Ela é a maior entidade de rodeios do mundo, e todo mundo deveria bate continência, porque foi de lá que saiu tudo, principalmente regras. Voltando para o Brasil, o Circuito RR, após a publicação do Arena em Debate, rebateu as críticas e acusações feitas pele Ednei Caminhas. O que você tem a dizer agora com as duas versões expostas no Facebook Abner?

AH: Saiu uma nota de esclarecimento, como já publicamos e parece que não foi bem como haviamos falado aqui. Então meu amigo, fica realmente difícil saber o que houve por lá. Lemos as duas versões e parece que ambas as partes tem razão em alguns pontos e falta dela em outros. Uma coisa que preciso me retratar, foi quando falei sobre seminários de regras e até a própria definição de regulamento. Não havia me referido exatamente ao Circuito RR, mas cabe a retratação. Como publicado, eles tiveram sim um seminário no início do Campeonato. Isso por si só prova a preocupação dos organizadores em relação aos competidores e até mesmo polêmicas que venham a surgir. Porém um ponto na nota de esclarecimento me chama a atenção, que foi a forma como seria feito o “facão” na etapa Final. Sim, isso foi decidido e aceito frente aos competidores e não há o que contestar. Mas na minha opinião particular, esse tipo de “facão” ainda mais em uma final, não soma nada ao esporte. Já falei e repito, que sou a favor da padronização dos Round’s, sem cortes. Porque um peão viajar quase 1000 km e saber que pode ser cortado no primeiro dia, porque não atingiu a nota ou o tempo, não é nenhum pouquinho motivante. Falando em Final, Eugênio José, cadê a tão sonhada e falada Final da PBR Brazil. Você que tem andado pelos rodeios, o que tem ouvido e o que acha que deve acontecer?

EJ: Até você Abner, me perguntando sobre a final? Já não basta os vários e-mails e mensagens via Facebook ou então, comentários no site?! Calma, não estou bravo! Mas, ao menos uma vez por dia alguém me faz essa pergunta. Eu não tenho a resposta. O que sei é que, o Brahma Super Bull PBR, criou vários fãs, o que é positivo para o esporte. Como todos sabem Brahma/Santarena e PBR Brasil não estão juntos mais. Óbvio que a PBR Brasil, está com problemas para a fazer a final. Isso nós já sabemos, nós, que estamos no meio do rodeio. Antes que alguém, fale que estou criticando a PBR Brasil, vou logo falando. Estou não! Eu só acho, que os fãs merecem uma resposta, mesmo que seja. “Fãs da PBR Brasil, em razão do nosso rompimentos com a Brahma e outras dificuldades, ainda não definimos onde e quando vai ser a final, em breve anunciaremos”. E de forma alguma, é feio, ou “pegaria mal” para qualquer campeonato terminar a temporada no outro ano. Já aconteceu com outros, incluindo a PBR. No Brasil que campeonato, exceto o Circuito Barretos, consegue terminar a final por mais de três anos no mesmo lugar? . Não temos a cultura da Final. Vou além, não temos Las Vegas, e essa dificuldade vai sempre existir! Então, eu só acho, é uma opinião apenas,  que os fãs que a PBR Brasil conquistou, merecia essa resposta. Aos que me perguntam, o que eu posso responder é: Não sei! Eu também gostaria de saber. E falo mais ainda. Muita gente está rindo, das as dificuldades da PBR Brasil. Eu não acho graça alguma, para o esporte, isso é muito ruim. Esperamos que possam ler esse Arena em Debate e sim, dar um resposta, não por mim, mas, para os fãs da própria PBR no Brasil, que são muitos e me pergunta isso todo dia.

AH: Concordo com todas as suas colocações. Querendo ou não, a Santarena foi um divisor de águas no Rodeio brasileiro. Mais um dos grandes divisores, mas talvez o mais importante na história recente deste esporte no Brasil. Na semana passada ouvi de um diretor de um campeonato que a “PBR Brazil aqueceu o mercado brasileiro” e isso é a mais pura verdade. O milhão (mesmo que não foi entregue), os programas em tv aberta, o valor dos patrocínios, a forma comercial de tocar o rodeio. Tudo isso contribuiu para o esporte. Pode não ter dado certo, mas deu novos rumos ao rodeio brasileiro. Ajudou outros campeonatos a crescer mesmo que indiretamente. E como você disse, rir das dificuldades alheia não ajuda em nada, até porque a maioria de quem ri são os mesmos que até pouco tempo corriam atrás de credenciais para os eventos e enalteciam o campeonato. Falta uma explicação, realmente e aguardamos que ela venha em breve, para o bem do esporte e dos fãs, incluindo nós.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Informação

Publicado em 28 de novembro de 2013 por em Arena em Debate.
%d blogueiros gostam disto: