ARENA BRUTA – Rodeio com mais conteúdo

O melhor conteúdo sobre o verdadeiro esporte do Cowboy

Arena em Debate 49: Final da ANTT e Top Team Cup

A GRANDE FINAL DA ANTT E DO TOP TEAM CUP, O RODEIO DE SANTO INÁCIO E MUITAS POLÊMICAS – VEJA O QUE FOI DESTAQUE NO ARENA EM DEBATE 49

Em semana movimentada no mundo do rodeio os colunistas Abner Henrique e Eugênio José comentam sobre as Finais da ANTT, do Top Team Cup, o Rodeio de Santo Inácio e a polêmica envolvendo um Campeão Mundial da PBR

Abner Henrique: Há algumas semanas atrás o Eugênio José me disse: “O fim de semana do dia 15 vai ser pra testar colunistas.. tem rodeio pra todo lado.” Realmente o fim de semana foi movimentado e vamos tentar falar um pouco de tudo aqui. Começo pela Final da ANTT, que aconteceu em Cerquilho. Eu sempre chamo a ANTT de o Campeonato mais duradouro do Rodeio Brasileiro, pois já foram 10 anos consecutivos. E a Final do 10° campeonato coroou Caroline Rugolo, Campeã Nacional de 2013. Com Cutter Exocit Lee, a Carol venceu seis das 10 etapas oficiais da temporada. O título garantido com uma rodada de antecedência foi mais que merecido. Mas há outros pontos a se destacar sobre essa Final. Fatiana Ferreira lutou até o fim e fez uma Final perfeita, onde sem derrubar nenhum tambor conquistou a vitória da etapa. Na categoria Silver Race, vitória de Kelly Caroline, que havia ficado de fora da Final da Gold Race pelos critérios de desempate e fez o melhor tempo em três dos quatro Round’s em Cerquilho. Outro destaque, Maria Eduarda Silva, primeira Campeã na categoria Mirim da ANTT e que nesta Final, além da categoria Mirim, ainda estava classificada entre as adultas na categoria Silver Race, onde ficou em quarto lugar na temporada.

Carol Rugolo conquistou seu primeiro título nacional pela ANTT após vencer 6 das 10 etapas (Foto: Revista Fique em Evidência)

Carol Rugolo conquistou seu primeiro título nacional pela ANTT após vencer 6 das 10 etapas (Foto: Revista Fique em Evidência)

Eugênio José: Meu amigo Abner, a Caroline Rugulo, era favorita, embora isso não valesse muita coisa, mas, o título estaria em boas mãos, se Fatiana Ferreira ganhasse, também. Acho muito bacana esse sistema de classificar as competidoras que não conseguiram classificação. Muito bacana, já pensou isso na PRCA, teríamos Wesley Silcox e Bobby Welsh, na modalidade touros, Cory Solomon e Clint Cooper no Laço em Bezerro por exemplo. Kelly Caroline, como você disse ficou de fora, da categoria Gold Race,  esse ano pelos critérios de desempate, mas, terminou a temporada com um título nacional da Silver Race. Muito bacana mesmo. Como você disse, pela consistência e durabilidade, hoje, a ANTT, é o melhor campeonato da atualidade. Assim como, defendo que o Circuito Cowboy Forever ( rodeio universitário) foi o melhor campeonato de montarias em touros até hoje no Brasil, partindo pelos mesmo princípios, durabilidade, foram 15 anos, fazendo tudo o que PBR e Top Team faz hoje, porém, na década de 90. Já que o assunto é durabilidade, o Top Team Cup, na modalidade touros, Abner, sem sombra de dúvidas e soma de números, é o campeonato que mais premiou, na modalidade no rodeio Brasileiro, e no quesito durabilidade, está na ativa desde 2006. Este final de semana, Marcio Lino Sena, escreveu sua história sendo o primeiro bicampeão do Circuito. Baseado nos competidores que hoje estão no Top Team, você o indicaria como candidato ao tri?

AH: Finalizando sobre a ANTT, acredito que a receita de sucesso seja pautada em duas coisas: é um campeonato controlado pelas competidoras, ou seja, entre os pontos negativos e positivos que uma entidade controlada pelos atletas tem, o fator valorização prevalece. Nunca tentaram dar um passo maior que a perna e estão ai, há uma década. O outro fator é o “nós” e não o “eu”. Sempre falo, há muitos campeonatos e entidades de rodeio no Brasil feitos para divulgar o presidente, os diretores. Na ANTT, o “nós” vem antes do “eu” seja qual for a diretoria e isso sempre dá certo. Mas voltando a falar de TOP TEAM CUP e respondendo sua pergunta, sim, pelo que ele vem montando ele é o grande favorito ao título de 2014, afinal, ninguém ganha dois títulos desse nível a toa. Mas não acredito que um possível terceiro título do sul-matogrossense virá por falta de incapacidade dos concorrentes. O time do TOP TEAM CUP é grande e eu citaria pelo menos uns 10 competidores com capacidade de vencer no ano que vem. Márcio Lino pode vencer de novo, mas terá muito trabalho. Falando em vencer, na Montaria em Touros você acertou seu palpite, assim como no Bareback e nos Três Tambores, mas na Sela Americana você acreditava em uma virada e o sexto título nacional de Leandro Baldissera, mas o Armando Losnaque levou. O que houve, seu “achômetro” descalibrou?

Márcio Lino Sena se tornou o primeiro Campeão do Top Team Cup na Montaria em Touros (Foto: Garça Foto)

Márcio Lino Sena se tornou o primeiro Campeão do Top Team Cup na Montaria em Touros (Foto: Garça Foto)

EJ: Ora meu amigo, palpitei, deu errado 25%, mas acertei outros 75%. Acontece, né. Ainda no Top Team Cup, Ana Júlia Lima, foi a grande campeã dos três tambores, já falei sobre ela aqui em outros debates e creio que é uma grande revelação. Acredito também que o Top Team, está geograficamente impróprio para um competidora acompanhar, todas as etapas, uma vez que realiza uma etapa em Mirrasol D’Oeste (MT) e outra em Cascavel (PR), fica muito difícil para uma competidora sair de São Paulo para acompanhar, enfim, mas, o campeonato está ai e a Ana Júlia Lima consegui seu primeiro título nacional. Falando em campeonato Abner, para ser mais exato, campeonato é algo que está na moda, no Brasil. É aquela velha história todo mundo quer ter fazer as coisas, mas, poucos querem estudar se aprofundar. Segundo o facebook, do campeão mundial da PBR Ednei Caminhas, a final do Circuito RR (Renan Rochid) não acabou bem não né, parece que teve muita confusão, mudança de regulamento na última hora. O que isso agrega, ou desagrega ao camarote chamado rodeio Abner Henrique?

AH: Pelo que foi divulgado pelas redes sociais houve um “boicote” dos próprios competidores em relação ao Edney Caminhas. Então isso acaba sendo a junção de vários assuntos, ou melhor, vários erros, que em nada agregam valor ao rodeio. Como você disse, está na moda fazer “campeonatos”, “circuitos” por ai e está até difícil contar quantos tem e saber como eles funcionam, se é que funciona. Não sei o que houve na Final do Circuito RR, não sei como era o Circuito, só sei que os competidores tem direitos, mas também devem seguir o regulamento. Não pode mudar as regras do jogo aos 45 do segundo tempo. Vi o desabafo de um competidor (respeitado internacionalmente) que quase foi prejudicado pela união dos colegas de profissão contra ele. Pra lutar contra organizadores aventureiros, contra cantores que atrapalham o rodeio o pessoal não faz questão de se unir. O rodeio brasileiro comporta 500 campeonatos se for preciso, mas jamais se tornará um esporte respeitado se continuarem fazendo campeonatos como muitos fazem. Na maioria não há regulamento, não há calendário, não há coerência na distribuição dos pontos, entre tantos outras coisas que é preciso para de fato chamar algo de “campeonato”. E a forma de fazer não é segredo, os mais respeitados estão com seus modelos ai a mostra de todos e copiar o que dá certo é sempre válido. Eugênio José, vamos abordar muito este tema aqui ainda porque nós dois temos muito o que falar sobre esse assunto. Mas encerrando este caso específico, penso assim: não importa o que o competidor tenha feito, se a regra e o regulamento permite, nada pode ser feito contra ele, simples assim.

EJ: Pois é Abner, isso tudo é muito chato, e com certeza vai dar pano pra manga, e estamos aberto a ouvir a versão do Circuito RR, uma vez que, só ouvimos a versão do Ednei Caminhas. Agora vamos falar de coisa boa. Estive em Santo Inácio (PR), na 14ª Edição do Santo Inácio Rodeio Show, evento que o senhor estava credenciado e não foi né! Mas, estive neste evento em 2010, e voltei agora em 2013. Fiquei assustado com a evolução do evento. Sei que nosso foco é rodeio, mas, a grade show bacana. Na arena 24 mil reais em prêmios, ótimos profissionais, e uma aceitação da comunidade/município muito grande. Gente bonita, arena lotada todos os dias, e claro muita adrenalina. Guarde o nome de um touro Abner. “Pit Bull” Cia Bulls Champions / AR, invicto, novo ainda mas, com nove rodeios de pelo liso. Edmundo Gomes, campeão da PBR Brasil em 2008, já havia caído dele e o escolheu na final. Outra queda, touro muito bom. O campeão foi um competidor de Ponta Porã (MS), Júlio César Pereira, entrou em segundo de nota, o primeiro caiu e ele que fez  parte dele certinho, levou merecidamente o prêmio para casa. Um detalhe bacana era a galera acompanhando as montarias desde o inicio, realmente a festa foi bacana. Parabéns, José Roberto Oliveira, presidente do rodeio e Prefeitura e Câmara Municipal. O rodeio foi um show.

Fotos: Daniele Venturini – ANTT / Garça Foto – Top Team Cup

PS: Cerca de uma hora, após a publicação do Arena em Debate, o Circuito RR se manifestou, então, resolvemos publicar em foto, as duas versões. E como a nota só veio, após a publicação, só discutiremos sobre o assunto, na próxima semana.

OPINE SOBRE O CASO, DEIXE UM COMENTÁRIO ABAIXO

Blog Arena Bruta

Versão do Campeão Mundial Ednei Caminhas

Nota de esclarecimento do Circuito RR
Nota de esclarecimento do Circuito RR

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Informação

Publicado em 20 de novembro de 2013 por em Arena em Debate.
%d blogueiros gostam disto: