ARENA BRUTA – Rodeio com mais conteúdo

O melhor conteúdo sobre o verdadeiro esporte do Cowboy

Arena em Debate 37: O que rolou em Barretos 2013

NA SEMANA EM QUE SE ENCERROU O MAIS FAMOSO RODEIO BRASILEIRO O ARENA EM DEBATE APRESENTA A OPINIÃO DOS COLUNISTAS ABNER HENRIQUE E EUGÊNIO JOSÉ SOBRE OS PRINCIPAIS ASSUNTOS DO MUNDO DO RODEIO

Elogios e críticas, fazem parte do Arena em Debate, e como foi a semana do maior rodeio do Brasil, eles abordaram o assunto com classe e polêmica. Não faltaram também “pedras” a escolha de J. B. Mauney. Com vocês, mais uma edição inédita do Arena em Debate:

Eugênio José: Abner, eu e você mudamos de opinião sobre o J.B. Mauney, elogiamos, ai ele vem e monta no Bushwacker uma semana depois de ter parado e cai. Ele não quer ganhar o título mundial é isso??

J.B. Mauney, pela segunda vez em uma semana montando Bushwacker (Foto: Andy Watson - PBR)

J.B. Mauney, pela segunda vez em uma semana montando Bushwacker (Foto: Andy Watson – PBR)

Abner Henrique: Não sei se podemos dizer que ele nos decepcionou, acho que ela só nos enganou fingindo que tinha mudado (risos). Parece que ele preferia ser lembrado como o cara que parou (mas não parou) no Bushwacker duas vezes, do que como o americano que acabou com o domínio brasileiro. Não era hora de ousar de novo. Hoje ele está em quinto, restando sete etapas antes da Final Mundial. Na sua visão, o que J.B. Mauney precisa para conquistar este título em 2013? Ainda dá pra ele?

EJ: A reposta é meia esquisita mas, para J. B. Mauney é: Sei lá viu. Era só ele ter juízo e fazer as coisas certas, capacidade ele tem, porém, juízo não. Vai ser difícil, tem um tal de João Ricardo que está montando muito e já é segundo no ranking, e Silvano Alves com a capacidade de sempre. Abner. Acho que para J. B. Mauney ganhar este título este ano, precisa mesmo é trabalhar a cabeça. Focar no que faz, porque brincando de ser herói, ele vai ver a bandeira verde e amarela mais uma vez no topo do mundo. Guilherme Marchi, que não quer brincar de ser herói, ganhou a última etapa e disse que quer o título. Ainda dá Abner?

AH: A resposta é mais ou menos igual a sua: em se tratando de Guilherme Marchi, tudo pode acontecer. Tem experiência e talento pra chegar lá e já está em sétimo lugar. No último fim de semana, Silvano Alves fez a lição de casa e somou mais alguns pontos, aumentando sua vantagem para os demais. A última etapa teve também a reestreia de Edevaldo Ferreira, que acabou caindo dos dois touros que montou, mas devemos considerar que é a fase de readaptação. Falando no Brasil, o rodeio que movimentou o fim de semana foi o Barretão. Começando pela Final nos Três Tambores, tivemos surpresas, decepções, zebras, ou foi uma final previsível?

Guilherme Marchi voltou ao TOP 10 do Ranking,após parar em Jack Daniel's After Party e vencer a etapa de Nashville (Foto: Andy Watson - PBR)

Guilherme Marchi voltou ao TOP 10 do Ranking,após parar em Jack Daniel’s After Party e vencer a etapa de Nashville (Foto: Andy Watson – PBR)

EJ: Sacana você né! Na final dos três tambores, foi mais ou menos tudo isso. O roteiro era Keyla Polizello e Caroline Rugolo a frente e com vantagem, na terceira posição, Rafaela Fortunato,que entrou em nona na quinta-feira, se classificou em terceira no geral e confessou-me que o animal tinha ido muito bem na arena principal, que estava confiante. Como rodeio não tem roteiro, Rafaela andou mais rápido, e ganhou. Aliás nos três tambores destaco duas mexicanas. Myriam Flores, que ganhou o desafio internacional da Keyla Polizello, na quarta-feira ela ainda estava doida atrás de um animal. E Daniela Gonzales, também mexicana que consegui classificação para a final usando a égua La Peppy Huss, que é da Vanessa Martos aqui de Presidente Prudente,  e nem foi a Barretos. A Daniela foi esperta, pediu para o Leandro Baldissera arrumar um animal competitivo e deu certo. Creio que seja a única internacional a conseguir vaga na final. Isso é bom para o rodeio internacional né Abner? Ou você ainda acha que Barretos deveria ser por convidadas ao invés de eliminatórias?

AH: Nos Três Tambores seria até injusto fazer uma competição apenas com convidadas. Acredito que este sistema é o ideal aqui no Brasil, eliminatórias a tarde, 10 classificadas a noite e vale a média. Pra quem não sabe, a cada dia um número de competidores garantem vaga direta pra final — quatro na quinta-feira, três na sexta-feira e outras três no sábado. Falando em Internacional Eugênio José, foi mais um ano digamos “fraco de nomes”, em razão de questões que a gente vai discutir em outras oportunidades, afinal esta é a função do Arena em Debate. Mas enfim, do time gringo que veio em Barretos, quem além das meninas do Tambor foi destaque? Aproveito para te perguntar também sobre as demais modalidades que aconteceram por lá.

Leandro Medeiros conquistou o título no Bareback montando em Glory's Day da Pro Horse (Foto: André Monteiro)

Leandro Medeiros conquistou o título no Bareback montando em Glory’s Day da Pro Horse (Foto: André Monteiro)

EJ: Na modalidade Sela Americana, com Leandro Baldissera dividindo o tempo com os palcos, seu aluno Peter Willi Tim, que tem nome de gringo, mas, é brasileiro venceu de novo. Assim como Fabiano Conceição, que campeão ano passado, entrou em segundo lugar, e como seu animal pulou mais levou a pamonha. No Bareback Leandro Medeiros, teve muito trabalho, para vencer os mexicanos, inclusive o atual campeão, Hector Gonzalez, fez uma excelente apresentação. Agora sobre nomes, ouso dizer que o rodeio internacional tem sido feito só para manter o nome. Já tivemos grandes nomes, e uma diversidade melhor de países, agora com essa forma de disputa entre equipes, pararam em México e EUA.  Nem eu e nem você principalmente conhecia os americanos, cancelaram a coletiva de imprensa que todo ano apresenta os internacionais, podemos considerar o nível fraco. Imaginar que já tivemos Tuff HedmanAaron SemasJustin McBrideJ. W. Harris, J. B. Mauney, foi decepcionante. Mas, um gringo quase surpreendeu, até cortarem ele nas cordas no sábado, ele entraria o domingo liderando, mas, regras, são regras. O nome dele tenho que destacar aqui, Timothy Steven Vaughan. Agora Abner, como foi para você acompanhar tudo pela internet, a transmissão do G1/Rodeio Magazine de todos os dias, foi uma das novidades deBarretos.

AH: Primeiramente vou fazer uma avaliação geral, sobre como se informar sobre o que acontece em Barretos pela internet. Bom, você bem sabe, que a gente cobre os grandes rodeios da América do Norte sem sair de casa. As informações vem todos os dias. E Barretos, por ser a maior Festa do peão do Brasil, fica devendo isto. Eu cheguei a dizer que não havia uma assessoria contratada para divulgar o rodeio, mas me enganei, pois há, e isso é pior ainda. Durante a semana eu tinha dúvidas sobre a forma de disputa, não encontrava resultados, planilhas (até você postar) e no domingo não assisti a semi-final em Touros, ai quando cheguei para assistir a Final, não sabia quem ia competir. Não havia uma planilha, uma fan page divulgando os classificados. Como criar ou manter ídolos no rodeio assim? Agora quanto a transmissão, foi maravilhosa. Nos dois assistimos a transmissão dos 10 dias de Calgary e a equipe da TV Rodeio não deixou nada a desejar a eles, com Esnar Ribeiro e Tânia Celeguine comentando tudo o que acontecia, explicando as regras, entrevistando os competidores. Realmente um ponto positivo. E pra quem ainda não sabe, fui informado que a Final Mundial da PBR em Las Vegas terá transmissão semelhante em outubro. Vamos aguardar.

Mas para encerrar Barretos, me fale sobre a modalidade que sempre chama mais a atenção, a Montaria em Touros. Em mais de 30 anos de competição em Barretos, o estado de Goiás nunca havia conquistado um título, até ano passado com o Ted Flora e este ano repetiu a dose.

Cláudio Crisostomo garantiu o títul para o estado de Goiás pelo segundo ano consecutivo (Foto: Edson Silva - Folhapress)

Cláudio Crisostomo garantiu o títul para o estado de Goiás pelo segundo ano consecutivo (Foto: Edson Silva – Folhapress)

EJ: Goiás é um dos principais produtores de competidores, e em Barretos, este ano mais uma vez isso foi provado. Cláudio Crisóstomo, ganhou Barretos, lidera a PBR Brazil, ou seja, faltou alguém dizer que ele era favorito, ninguém disse e ele ganhou. Ele entrou em segundo lugar, mas, Britânico havia pulado muito no sábado, e era meio previsível que Clayton Neris ia ter dificuldade, e teve, caindo e deixando  literalmente o título “ir para o Goiás”. Mas, temos que falar dos estados. Esse formato é muito bom no papel, mas, na prática ele precisava de regras. Por Exemplo: SP, MT, MS, GO, MG e PR passaram direto para o Internacional. Era só avisar os técnicos: “Senhores, as equipes Classificadas precisam ser 100% nativos”. Só MS e SP e o Acre fizeram isso. Vou além, estados que não tem os cinco competidores, precisava pelo menos de uma ou dois nativos, ai eu acho que ficaria legal. Como o Sergipe por exemplo, tinha os nativos e os convidados. Ficaria legal. Se não fizer isso, o Rio Grande do Sul, formado por competidores da Equipe Rozeta, vai ser tri, tretra, penta, etc. Ou muda logo o tome para equipes, ao invés de estados. Mas, verdade seja dita, muita coisa melhorou, em relação a nativos. Mato Grosso esse ano, veio quatro de lá, embora não sejam os principais do estado, mas, vieram, então devagar acho que as coisas vãos se ajeitando. Abner, me diga como foi o final de semana na PRCA.

Com a ausência do líder Kanin Asay, o vice-líder Tyler Smith chega como principal favorito para a final do Xtreme Bulls (Foto: Matt Cohen)

Com a ausência do líder Kanin Asay, o vice-líder Tyler Smith chega como principal favorito para a final do Xtreme Bulls (Foto: Matt Cohen)

AH: Foi mais um fim de semana repleto de eventos e com muitas chances para quem quer se classificar para a National Finals Rodeo, lembrando que o Ranking fecha no fim de setembro, portanto este mês que está chegando, a tendência é que literalmente “o bicho vai pegar”. Uma novidade foi a volta do Kaycee Feild a liderança do Bareback, chegando perto dos US$ 100 mil na temporada. Nas outras modalidades nenhuma alteração na liderança, apesar de um constante sobe e desce no TOP 15. Mas o assunto que chama mesmo a atenção nesta semana é a Final do Xtreme Bulls, que acontece sábado. Pra quem não sabe, o Xtreme Bulls é o Campeonato de elite da Montaria em Touros na PRCA, um título muito cobiçado. A Final acontece em um único dia, com um Round e o Short-Go. Um fato interessante é que o líder é Kanin Asay, atual Campeão e único na história a vencer o Xtreme Bulls duas vezes. Porém, Asay está lesionado e não deve mais montar este ano. Dificilmente ele conquista o terceiro título, pois a soma de dinheiro que ele pode ser facilmente ultrapassado por outros atletas que estarão competindo. Matematicamente, os 11 primeiros do Ranking tem chance de conquistar o título. pela fase, se estiver sem lesão, eu apostaria em J.W. Harris, que está em quinto e nunca conquistou a fivela de ouro deste Campeonato. Além dele, Tyler SmithJosh Koschel e Cody Teel são os que tem mais chances.

2 comentários em “Arena em Debate 37: O que rolou em Barretos 2013

  1. joca
    1 de setembro de 2013

    me mado vidios obrigado

  2. willian ferreira
    30 de agosto de 2013

    muito bom o trabalho de vocês, parabéns …. uma questão que sempre me vem na cabeça …..POR QUE, NINGUEM TRANSMITE O CAMPEONATO MUNDIAL E NEM O BRASILEIRO DE MONTARIA EM TOUROS? … pergunta pra vocês e pra quem acompanha o rodeio aqui no Brasil, O FATO DE NÃO AVER TRANSMISSÃO EM TV ABERTA, INFLUENCIA NO ESPORTE RODEIO, AQUI NO PÁIS? … é fodsssss viu !!!!

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Informação

Publicado em 29 de agosto de 2013 por em Arena em Debate.
%d blogueiros gostam disto: