ARENA BRUTA – Rodeio com mais conteúdo

O melhor conteúdo sobre o verdadeiro esporte do Cowboy

Arena em Debate 14: PBR, PRCA e Houston Rodeo

O ARENA EM DEBATE DESTA SEMANA DESTACA A PBR, COM A VITÓRIA E A RECUPERAÇÃO DE SILVANO ALVES, PORÉM NÃO DEIXA DE LADO O CAMPEONATO DE RODEIO MAIS ANTIGO DO MUNDO, O DA PRCA E O MEGA EVENTO DE HOUSTON, NO TEXAS

A semana começou com mais uma edição do Arena em Debate. Os Colunistas Eugênio José e Abner Henrique conversam, discordam e concordam sobre assuntos como a vitória de Silvano Alves, o empate técnico entre Marco Eguchi e Shane Proctor, o mega rodeio de Houston, PRCA e o campeonato brasileiro da PBR. Acompanhem…

Silvano Alves, depois de uma pequena má fase, deu a volta por cima e mostrou que está pronto para brigar pelo título (Foto: Andy Watson / PBR)

Silvano Alves, depois de uma pequena má fase, deu a volta por cima e mostrou que está pronto para brigar pelo título (Foto: Andy Watson / PBR)

SILVANO ALVES

Eugênio José: O final de semana, em Fresno na Califórnia foi de suma importância para a disputa do título mundial da PBR. A vitória de Silvano Alves, e a quarta colocação de Marco Eguchi, fez com que tudo ficasse indefinido, sem dono, porém com três candidatos de peso. Shane Proctor, continua líder, mas, é como se estivesse empatado tecnicamente com Eguchi. Como você recebeu essa vitória de Silvano Alves, Abner, já que na semana passada você falou que ele tava caindo mais que o Neymar?

Abner Henrique: Primeiro não disse que estava caindo mais, pois é impossível cair mais que o Neymar (rss), mas disse que ele estava a caminho. Olhar para os brasileiros só quando eles estão ganhando é fácil, mas a gente tem que ser realista. Fazia exatamente um mês que Silvano Alves não parava em dois touros na mesma etapa. Isso, pra um Bi-Campeão Mundial e provável maior ganhador de dinheiro da PBR em alguns meses, é sim preocupante. Não falei bobagens, fui nos números. Mas agora ele está de volta!

BRASILEIROS

AH: Semana passada você comparou os brasileiros com os canadenses, Eugênio José. Hoje temos apenas nove brasileiros entre os 25 competidores que tem vaga garantida nos eventos, sendo que dois deles estão lesionados, ou seja, são apenas sete brasileiros. No TOP 10 da classificação, apesar de termos o segundo e o terceiro colocado, aparecem apenas três brasileiros. Você acredita em uma má fase geral.

EJ: Eu vejo de outra forma Abner, não uma má fase dos brasileiros – tudo bem, algumas contusões baixas e outros com baixo rendimento isso é verdade – o que tenho notado é uma certa reação, melhora dos americanos e até dos canadenses como falamos na semana passada. Caras como Jordan Hupp, longe de ser um campeão mundial, mas, toda semana, está na final. Ele tem 45% de aproveitamento, e está na sexta posição, era um nome, não muito comum ano passado.

João Ricardo Vieira, sem muitas escolhas, preferiu desafiar Asteroid na Final de Fresno

João Ricardo Vieira, sem muitas escolhas, preferiu desafiar Asteroid na Final da etapa de Fresno (Foto: Andy Watson / PBR)

TOUROS EM FRESNO

AH: Os touros foram outro grande destaque nesta etapa, derrubaram em 70% das montarias e pela primeira vez na temporada, saíram invictos da Final (Short-Go). Na Final, você acredita que principalmente Marco Eguchi e João Ricardo Vieira fizeram más escolhas? Lembrando que uma parada de Eguchi lhe garantiria na liderança do Mundial.

EJ: É difícil falar, tem dia que o cowboy tá confiante,  quer vencer esse ou aquele touro. Mas, esse ano, com o passar de mais de um terço da temporada, o que se projeta é que seja uma temporada apertada como foi a temporada passada, onde Guilherme Marchi perdeu por 659 pontos, L.J. Jenkins por um segundo e pouco, enfim, quando se fala em título mundial toda concentração é necessária, uma escolha errada pode sacrificar, ou melhor decidir um título. Se em Fresno a coisa não foi boa para os boiadeiros, na próxima semana vai ser pior ainda, pois Albuquerque (evento do Ty Murray) a final reúne os melhores touros e há dois anos ninguém para em nada no Short-Go por lá.

J. W. HARRIS

EJ: Pois é Abner, vi você escrevendo até mesmo antes do J. W Harris ganhar o rodeio de Houston, que você apontava ele como favorito. Depois que o Cody Teel machucou, você está sem favorito na PRCA?

AH: Eu não considerava o Cody Teel o único favorito contra J.W. Harris. Assim como você, eu também sou sempre mais “a experiência”, principalmente na PRCA, onde ela se faz muito necessária. Como eu já disse, Kanin Asay é um nome perigoso quando está saudável e olhando no Ranking, vemos os experientes Josh Koschel (líder) e Corey Navarre (quarto colocado). Espera começar os rodeios de verão e poderemos fazer uma lista de favoritos para cada um.

O Tri-Campeão Mundial, J.W. Harris venceu pela primeira vez em Houston e conquistou o prêmio de US$ 50 mil

O Tri-Campeão Mundial, J.W. Harris venceu pela primeira vez em Houston e conquistou o prêmio de US$ 50 mil (Foto: Karen Warren / Houston C.)

HOUSTON RODEO

AH: Sem brasileiros na competição, parece que eu e você fomos os únicos a acompanhar este mega evento, que aliás tem um site que faz inveja a qualquer grande campeonato, nos quesitos informações, perfil de atletas, etc. Competição de alto nível em cada um dos 20 dias, em todas as modalidades. Nas montarias, grandes animais, onde inclusive tivemos um 93 pontos na Final do Bareback e um 91 pontos na Sela Americana, além é claro da montaria de 91.50 pontos que J.W. Harris fez no irmão caçula do Bushwacker. O que mais você acrescenta sobre Houston, Eugênio José?

EJ: O que falar de um evento que paga aos atletas, aproximadamente R$3.600.000,00 milhões de reais em prêmios? E recebe a visita de 1,3 milhões de pessoas só para ver o rodeio, entrou na arena para isso. Foram 2,5 milhões de pessoas na feira, em 20 dias. Não dá pra falar muito, só admirar mesmo. E como você disse, um grande evento, com um departamento esportivo, sem deixar nada a desejar a PBR, PRCA, com resultados em tempo real no próprio site. Não basta ser grande, tem que informar os fãs do esporte.

PBR BRAZIL

EJ: Começa essa semana em Colorado, no Paraná, a temporada 2013 da PBR Brasil, você acha que com Edevaldo Ferreira, Eduardo Aparecido e João Ricardo Vieira montando nos Estados Unidos nesse começo de temporada, algum outro competidor vai se destacar como favorito ao título? Ou quando eles voltarem em maio, assumem o favoritismo?

AH: Eu acreditava que mesmo competindo três meses direto por aqui, os competidores que estão nos EUA teriam uma certa desvantagem em relação aos que estão por aqui, então apostava no favoritismo de Magno Alves, Marcos Fernando ou Francis Gustavo. Mas Edevaldo Ferreira está na 33ª posição no Mundial, o que significa que ele pode ser cortado da primeira divisão e retornar ao Brasil mais cedo, a tempo de competir em Londrina, Ribeirão e Jaguariúna… e quem ganhou os dois últimos títulos, é sempre favorito.

Edevaldo Ferreira na montaria que lhe garantiu o Bi-Campeonato Brasileiro pela PBR, em novembro de 2012 (Foto: André Silva)

Edevaldo Ferreira na montaria que lhe garantiu o Bi-Campeonato Brasileiro pela PBR, em novembro de 2012 (Foto: André Silva)

Arte: @RogerioVeronez

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Informação

Publicado em 19 de março de 2013 por em Arena em Debate.
%d blogueiros gostam disto: