ARENA BRUTA – Rodeio com mais conteúdo

O melhor conteúdo sobre o verdadeiro esporte do Cowboy

Carlee Pierce: Uma história de sucesso nos Três Tambores

RECORDISTA DE TEMPO NA ARENA DE LAS VEGAS, CARLEE PIERCE NÃO TEVE A FINAL MUNDIAL QUE SONHAVA, MAS QUANDO NÃO COMETEU INFRAÇÕES A COMPETIDORA CONQUISTOU OS MELHORES TEMPOS DA NOITE E TERMINOU O ANO COMO A SEGUNDA MELHOR DA MODALIDADEBlog Arena Bruta Carlee Pierce

 

(por @HenRiQue_Bad) Das 150 apresentações nos Três Tambores (Barrel Racing) durante a National Finals Rodeo deste ano, as duas de melhor tempo ficaram com o conjunto formado por Dillion e Carlee Pierce. Tempo baixo na arena de Las Vegas não é nenhuma novidade para Pierce, que em 2011 montando este mesmo cavalo estabeleceu o novo recorde da NFR com 13.46 segundos. Porém, em 2012, competindo pela segunda vez no principal evento do ano, a competidora teve alguns problemas durante a competição, que a impediram de lutar pelo título mundial, mas mesmo assim ela terminou honrosamente como a segunda melhor Cowgirl da temporada.

Depois de outra excelente temporada, Carlee Pierce chegou a NFR em quarto lugar na classificação, extremamente confiante no título. Mas logo na primeira noite da competição, a competidora de 32 anos derrubou os três tambores que contornou, acumulando 15 segundos de penalização. “Meu plano era ficar entre as seis melhores da noite. A gente nunca imagina que pode derrubar os três tambores, mas acontece,” declarou ela. Nas duas noites seguintes, Pierce decidiu correr com seu segundo cavalo, Hammer, porém o resultado também não foi bom. Com um tambor derrubado no Round 2 e dois tambores derrubados no Round 3, ela ficou três noites seguidas com a pior apresentação entre as 15 finalistas. Consciente de que os erros eram seus e não dos animais, ela decidiu competir novamente com Dillion na quarta noite. O resultado foi o segundo melhor tempo da noite, 13.75 segundos.

Carlee Pierce e Dillion na apresentação que estabeleceu o novo recorde dos Três Tambores na NFR em 2011

Carlee Pierce e Dillion na apresentação que estabeleceu o novo recorde dos Três Tambores na NFR em 2011

Após o erro na primeira noite ela sabia que praticamente estava fora da briga pelo título da NFR, devido a seu tempo alto e declarou que dava para tirar proveito disso, pois poderia arriscar mais a cada noite, buscando o melhor tempo, sem se preocupar com a média final. Carlee Pierce derrubou tambores em cinco de suas 10 apresentações no evento, porém nas outras cinco ela esteve entre as melhores da noite. Com dois Round’s vencidos, que lhe renderam os dois melhores tempos da NFR 2012 e mais três segundos lugares, ela somou US$ 79.800 e mesmo sendo a penúltima colocada da competição, encerrou o ano como vice-campeã do mundo.

Nascida no Canadá, mas criada nos Estados Unidos, a paixão pelos cavalos surgiu ainda quando criança, pois sua mãe é uma ex-competidora da modalidade Três Tambores. “Durante a gestação ela ainda laçava e corria nos tambores,” declarou Carlee Pierce. As duas trilharam histórias de vidas diferentes, pois a mãe, Danita Walker deixou de competir profissionalmente depois do nascimento da filha, já Carlee, que se casou muito jovem, só passou a se dedicar pra valer a modalidade depois do nascimento de seu terceiro filho, a seis anos. Apaixonada por cavalos, ela conta que adora vê-los em todas as provas: ”Eu amo fazer (a prova do) tambor, mas também adoro ver os outros profissionais na arena com seus cavalos. Eles são criaturas incríveis.”

Carlee Pierce e Dillion formam um dos conjuntos mais elogiados e premiados dos últimos anos

Carlee Pierce e Dillion formam um dos conjuntos mais elogiados e premiados dos últimos anos

A competidora se filiou a WPRA – Woman’s Professional Rodeo Association em 2008, mas foi somente na temporada passada que apareçam as primeiras vitórias e a chance eminente de classificação para a NFR. Carlee Pierce iniciou 2011 competindo com a égua Blue Moon Fling, onde durante os três primeiros meses do ano conseguiu se manter entre as 20 melhores do Ranking. Foi então que ela comprou Dillion, hoje com 13 anos e que em 2008 havia participado da NFR com a competidora Anessa Self. Começava então uma parceria de sucesso, que durante o ano que ela mesmo chama de “ano mágico” trouxe muitos frutos. Além do recorde da NFR, Pierce venceu dois Round’s da competição e encerrou o ano na quarta colocação do campeonato com US$ 136 mil em prêmios, o que a consagrou como uma das grandes competidoras d modalidade.

Em 2012, além de também estabelecer o novo recorde do lendário rodeio de Houston, a atleta se manteve entre as melhores do Ranking durante todo o ano. Com sete vitórias pela PRCA, ela também encerrou a temporada como vice-campeã canadense pela CPRA. Para ela, terminar em segundo lugar não é derrota. “Este foi o ano do segundo para mim. Terminei em segundo lugar em vários rodeios grandes e em Las Vegas isso se repetiu,” declarou Carlee Pierce referindo-se também as três vezes em que fez o segundo melhor tempo da noite. “Me sinto feliz. Esses “segundos” (lugares) me colocaram entre as cinco melhores do mundo,” finalizou.

Carlee Pierce na corrida que lhe deu a vitória durante o Round 6 da NFR 2012

Carlee Pierce na corrida que lhe deu a vitória durante o Round 6 da NFR 2012

Apesar dos cinco Round’s onde sofreu penalizações durante a National Finals Rodeo, Carlee Pierce se manteve sempre otimista, declarando que apesar de não estar correndo como planejou o apoio e o carinho da família, dos amigos e principalmente dos fãs lhe deixavam feliz. Para ela, as palavras de incentivos ditas por cada fã que encontrava fora da arena, apagava tudo de ruim que tivesse acontecido. “Como posso me preocupar com alguns tambores derrubados quando tenho isso – o carinho dos fãs,” disse ela. Para Pierce, os maus resultados nas primeiras noites serviram como lição e uma conversa com o lendário campeão mundial de montaria em touros Gary Leffew após uma dessas noites a ajudaram a por as coisas nos lugares. “Ele me falou sobre concentração e da importância de me manter “conectada” com meu cavalo. Ele é perfeito, eu que não posso errar. Devo montá-lo da maneira que ele quer que eu monte,” finalizou ela referindo-se a Dillion.

Antes de começar a competir profissionalmente, a cowgirl trabalhou em um clínica veterinária e em um banco, para ajudar a criar seus dois filhos mais velhos, Kale (14), Makala (13). Somente após o nascimento da caçula Jacy, foi que ela pode se dedicar ao seu grande sonho, competir nos Três Tambores. Para alimentar este sonho, Carlee e o marido Steve investiram em empresas e imóveis na cidade de Stephenville no Texas, onde residem atualmente.Seus pais também tiveram papel importante tanto na sua vida como na sua carreira. Sua mãe, além de ensinar a ela todas as técnicas da modalidade hoje é uma das responsáveis pelo cuidado de seus animais. Danita é massoterapeuta eqüina e durante a NFR fez massagens nos cavalos para mantê-los calmos e preparados para a competição. Sempre que podem, as crianças acompanham o casal e Carlee Pierce acredita que as viagens possam colaborar na educação e formação de seus filhos. “Se optarem por rodeio, espero que eles se lembrem do trabalho duro e dedicação que é preciso para ser o melhor, não apenas em rodeio, mas em todos os aspectos da vida,” finaliza ela.

Fotos:  Tom Donoguhe – PRCA – Springer e Arquivo Pessoal

PATROCÍNIO

CORDAS PRECISION - Tecnologia e evolução a favor do esporte

CORDAS PRECISION – Tecnologia e evolução a favor do esporte

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Informação

Publicado em 21 de dezembro de 2012 por em National Finals Rodeo - Las Vegas 2012, PRCA.
%d blogueiros gostam disto: