ARENA BRUTA – Rodeio com mais conteúdo

O melhor conteúdo sobre o verdadeiro esporte do Cowboy

Vida de Herói : RUBENS BARBOSA

CONHEÇA A HISTÓRIA DE VIDA DE RUBENS BARBOSA, UM BATALHADOR QUE JÁ FOI ENGRAXATE, SORVETEIRO E PEDREIRO ANTES DE SE TORNAR UM DOS MELHORES COMPETIDORES DA MONTARIA EM TOUROS DO MUNDO

 

(por @HenRiQue_Bad) Desde criança, Rubens Barbosa sempre soube que a melhor forma de conseguir o que queria, era trabalhando duro, sem medir esforços em busca de seus objetivos. Em 2011, graças a essa luta incansável, ele teve mais um sonho realizado, competir nos Estados Unidos. Em outubro, Rubinho como é carinhosamente conhecido, pisou pela primeira vez na arena de Las Vegas e já na sua estréia pode sentir o gosto de marcar a maior nota em duas noites no principal evento da temporada e ainda entrar no Round decisivo da competição em primeiro lugar na pontuação geral. Este desempenho memorável fez dele o Melhor Estreante da PBR na temporada, ganhando a cobiçada fivela de Rookie of the Year e deixará seu nome para sempre registrado na galeria da fama da entidade. Atleta reconhecido nos Estados Unidos, ele também ganhou destaque na imprensa brasileira, onde deu entrevistas para vários canais de TV e também participou ao vivo do programa Mais Você com Ana Maria Braga, uma das maiores audiências da Rede Globo. Mas o início deste ano não foi tão bom quanto ele esperava e duas lesões sofridas logo nas primeiras etapas do Campeonato atrapalharam seu desempenho em cima dos touros. Apesar dessas lesões não serem tão graves ele teve dificuldades para permanecer em seus touros e não atingiu pontuação suficiente para se manter nas etapas da Built Ford Tough Series e já está competindo nos eventos do Touring Pro Division (a divisão de acesso) em busca do retorno aos grandes eventos.

UM GUERREIRO, UM EXEMPLO DE VIDA

Rubens Barbosa nasceu no dia 23 de outubro de 1983 na zona rural de Iaciara, cidade de aproximadamente 12 mil habitantes no interior de Goiás. Filho do Sr. Divino e de Dona Ana, o competidor foi criado no sitio da família ao lado de mais sete irmãos e três irmãs e desde cedo já ajudava o pai nos cuidados com os animais. Quando criança, montar era apenas uma diversão e não passava por sua cabeça se tornar peão já que segundo ele não havia televisão em sua casa e o contato com os rodeios era praticamente impossível. Os valores ensinados pelos pais fizeram e ainda fazem parte da vida desse batalhador, que desde muito cedo começou a trabalhar fora para ter o que queria. “Vendia pão, sorvete e engraxava sapatos para ter meu próprio dinheiro,” relembra ele. Aos 10 anos sua família se mudou para Uberlândia, no Triangulo Mineiro, onde moravam seus tios, mas foi dois anos mais tarde que um fato marcou e possivelmente mudou todo o rumo de sua vida. Na casa de um amigo, ele viu pela televisão as montarias de Rogério Pereira de Souza, competidor de Iaciara e que foi uma das grandes revelações da Montaria em Touros no Final da década de 90, conquistando inclusive o terceiro lugar no Rodeio de Barretos, além de algumas experiências internacionais. Ao ver seu conterrâneo brilhando nas arenas brasileiras ele não hesitou e decidiu: queria ser peão. Durante anos, Rubinho alimentou este sonho, mas sempre manteve os pés no chão e sabia que não podia abandonar tudo e ir atrás dos rodeios. Depois de trabalhar como servente de pedreiro e jardineiro, finalmente aos 18 anos ele teve sua primeira oportunidade nas arenas, durante o rodeio de Uberlândia, mas seu desempenho não foi dos melhores: “cai rápido e ainda paguei inscrição,” recorda o competidor.

 

Mas a determinação e a força de vontade de Rubens Barbosa foram maiores que qualquer decepção e ele seguiu em frente. Com pouca experiência e poucas amizades no rodeio, o início de sua carreira foi cheio de dificuldades e como os prêmios ganhos ainda eram poucos ele continuou trabalhando durante a semana para se manter financeiramente. Viajando de ônibus ou de carona, algumas vezes ele era acompanhado pelo irmão mais novo, Antonio Carlos Barbosa e cada barreira vencida ele tirava como lição, ganhando também experiência profissional a cada touro que montava. A grande guinada em sua vida aconteceu na arena de Novo Horizonte/SP, onde ele participou de seu primeiro grande evento e ficou com a segunda colocação. ”O que ganhei naquele fim de semana era equivalente a dez vezes ao meu salário”, afirma Rubinho. Foi neste momento que ele decidiu e se sentiu seguro em deixar o emprego com carteira assinada para se dedicar somente aos rodeios. Após participar novamente do rodeio de Uberlândia, que desta vez sediou uma etapa da PBR Brazil e ele terminou na quinta colocação, o atleta passou a competir efetivamente no maior Campeonato de Montaria em Touros do Brasil e não demorou muito para se tornar um dos destaques do esporte no país. Campeão e finalista em dezenas de grandes eventos, ele acumulou ao longo dos anos sete motos e uma boa quantia em dinheiro, além de títulos importantes como o da Festa do Peão de Americana – a maior do Brasil fora Barretos, FENAMILHO em Patos de Minas, Iron Cowboy em Jaguariúna e Adamantina International Rodeo. Ano passado ele recebeu a maior nota da temporada do Brahma Super Bull PBR, 93.75 pontos, a segunda maior da história da PBR Brazil e agora é o único competidor além de Edevaldo Ferreira a ter duas das 15 maiores notas desde que o campeonato começou no Brasil. Mas na vida de peão, nem tudo são vitórias e em 2010, alguns dias depois de vencer o evento de Americana ele passou pelo momento mais difícil de sua carreira. Ainda na arena de Americana, durante a segunda semana de competição, um choque contra a cabeça do touro quebrou 12 ossos de seu rosto e o deixou por alguns meses sem poder montar. Foi em momentos assim que o competidor conta que pensou em desistir, mas algo sempre o fez recomeçar. “Minha fé e o apoio de pessoas que estavam ao meu lado e confiavam no meu trabalho me deram forças para continuar,” revela Rubinho.

Rubinho montando o touro Pesadelo na Final do Iron Cowboy em Jaguariúna (Foto: André Silva / PBR Brazil)

O RECOMEÇO

Em 2011 ele foi Campeão do Iron Cowboy em Jaguariúna e o prêmio de R$ 100 mil, válido pelo Ranking de acesso o colocaram direto na Built Ford Tough Series, a primeira divisão da PBR. Como tudo em sua vida, a glória não veio fácil. Rubinho montou em dois touros na primeira semana de competição em Jaguariúna e outros dois na segunda semana, pela fase preliminar do Iron Cowboy, até chegar entre os oito melhores que estavam na arena na última noite. Apesar de saber que uma vitória ali significava uma vaga entre os melhores do mundo ele deu um passo de cada vez, “tudo foi acontecendo naturalmente”. No tradicional duelo de chaves, onde os competidores concorrem de dois em dois e quem fizer a melhor montaria avança para a fase seguinte ele superou seus dois primeiros concorrentes e chegou a grande Final. Pelo posicionamento das chaves, Rubens Barbosa montou na Final o touro Pesadelo (3 B – Bentinho), animal que o havia derrubado uma semana antes e ele ainda concorreria com Davi Henrique de Lima, competidor que havia sido o melhor da semana anterior. Mas para Rubinho, o adversário a ser vencido naquele momento era Pesadelo: “Pensava apenas que tinha que parar para vencer ele (Pesadelo), que já havia me derrubado uma vez,” declarou o competidor. A bela e emocionante montaria lhe rendeu 93 pontos e uma tremenda expectativa até a confirmação da vitória quando Davi Henrique caiu de Mistério (Júnior Zamperlini) com 7.3 segundos. A montaria e o título de Iron Cowboy foram uma sensação inexplicável, mas o dinheiro também fez muita diferença já que ele estava a alguns meses sem ganhar prêmios: “Veio na hora certa,” enfatiza o atleta. Em um primeiro momento ele ainda não tinha decidido se viajaria para os Estados Unidos somente para a Final Mundial em outubro ou se iria participar de mais eventos antes, mas a meta que ele havia estabelecido desde que entrou na PBR Brazil estava cumprida: a vaga na maior competição de Montaria em Touros do mundo.

Rubinho montando Cowboy Casanova na Final Mundial de 2011

ENTRE OS MELHORES DO MUNDO

Em julho, Rubens foi Campeão do AIR – Adamantina International Rodeo, onde novamente montou Pesadelo e marcou a segunda maior nota da história da PBR Brazil, 93.75 pontos. Logo em seguida, para ir se adaptando aos touros e aos eventos da PBR antes da Final Mundial, ele embarcou para os Estados Unidos, sua primeira viagem de avião. Para ele, estar entre os melhores do mundo depois de tantas dificuldades foi algo gratificante e emocionante. Além da estrutura dos eventos serem totalmente diferentes do Brasil, para Rubinho o reconhecimento do trabalho é outro ponto marcante no público americano: “Aqui somos estrelas, artistas. Depois dos eventos damos autógrafos e tiramos fotos com os fãs.” O começo, novamente não foi fácil e nos primeiros três eventos que montou ele parou em apenas um touro, mas sua fé e sua perseverança não o deixaram se abater: “Não desanimei, pois sabia que era apenas o começo de toda a adaptação,” recorda ele. Neste intervalo ele também competiu em alguns eventos do Touring Pro Division, onde foi Campeão da etapa de Baton Rouge no estado da Louisianna, sua primeira vitória em solo americano e que lhe deu muito mais motivação. Seu melhor resultado em eventos regulares na BFTS foi o quinto lugar em Milwaukee, mas Rubens Barbosa brilhou na hora certa e fez suas melhores montarias exatamente na etapa onde a premiação era maior e alcançou mais uma meta em sua carreira, se tornar o Melhor Estreante da PBR (Rookie of the Year). Parando em quatro dos seis animais que montou em Las Vegas, Rubinho marcou duas notas acima de 90 pontos, exatamente as duas que lhe deram a fivela de Campeão nos Rounds 2 e 5. Esta montaria no Round 5, sobre o touro Priceless lhe rendeu 92.50 pontos, a segunda maior nota da PBR World Finals 2011, e ele entrou no short-go (Final com os 15 melhores do evento) em primeiro lugar. A queda na última montaria lhe tirou o título do evento, mas o deixou na quarta colocação depois de cinco dias de competição onde ele embolsou US$ 112.500, saindo de Las Vegas com a sensação de dever cumprido. A soma da premiação ganha na Final, com os outros nove eventos e o dinheiro ganho na PBR Brazil convertido em dólares totalizaram US$ 281 mil durante o ano, mais de US$ 70 mil de diferença para Elton Cide, que concorreu diretamente com ele pelo título de Melhor Novato da temporada. Tudo aconteceu de forma mais rápida que ele próprio esperava, mas segundo o competidor foi apenas o começo de uma longa carreira internacional: “Ainda tenho muito pela frente.”

Rubinho com Daniela e Yasmin no Central Park em Nova York

Atualmente Rubens Barbosa reside em Decatur no Texas com a esposa Daniela e a filha Yasmim de sete anos. Quando não está viajando, Rubinho freqüenta academia e faz curso de inglês, mas este pai dedicado não dispensa os momentos em família, já que na maioria dos eventos a filha e a esposa não o acompanham. A pacata cidade ao norte de Dallas também é residência da maioria dos brasileiros que competem nos Estados Unidos e eles sempre se reúnem uns na casa dos outros ou para praticarem laço. Rubens conta que sempre procura se relacionar com os americanos, australianos e canadenses presentes nos eventos: “Alguns são mais reservados, mas a maioria se torna bons amigos,” revela o competidor. Para ele, fora das arenas as maiores dificuldades que encontrou foi com a comida e a língua inglesa, na qual ele tem melhorado muito com o curso. Já dentro da arena ele encontrou dificuldades em relação a rapidez dos touros, geralmente mais ágeis que os do Brasil e também por ainda não conhecê-los muito bem e sempre que precisa escolher no qual montar ele tem ajuda dos outros competidores e de Cody Lambert, diretor de montarias da PBR. Apesar de curtir música country e artistas da MPB como Zé Ramalho, Rubinho é extremamente fiel as suas raízes sertanejas e músicas nas vozes de Zezé di Camargo & Luciano, Rionegro & Solimões, Milionário & José Rico, Eduardo Costa, entre outros, são sempre indispensáveis nas longas viagens de carro a caminho das competições. Descrito pela família e os amigos como simpático, bem humorado, amoroso, humilde e muito companheiro de todos, ele afirma que a fama não mudou em nada seu caráter e que ele continua e continuará sendo a mesma pessoa. Apesar de também ser muito paciente, ele tem fama de gostar de conversar e é enfático ao dizer que seu maior defeito é falar alto. Sua persistência sempre o impulsionou em todos os momentos difíceis que passou, mas ele é imensamente grato as pessoas que o ajudaram no decorrer de sua vida como a esposa, a filha, os pais, os irmãos e toda a sua família. Quando fala dos amigos, Rubinho é grato a todos que de alguma forma o ajudaram, mas destaca em especial o apoio do saudoso Antônio Carlos Ferreira de Uberlândia e do competidor Carlota, de Lins, que é quem o ajudou a conseguir convites para os rodeios quando ele ainda não era conhecido.

Rubinho no centro da arena em Oklahoma City após marcar a melhor nota da noite

UM NOVO DESAFIO

Em 2011 ele teve uma temporada mais que especial, mas já nos dois primeiros meses deste ano Rubinho novamente foi colocado de frente com as dificuldades, mas tem as enfrentado com a mesma fé e perseverança que o trouxeram até aqui. Depois de parar em apenas um dos oito primeiros touros que montou ele não atingiu pontos suficientes para permanecer no TOP 25, que são os únicos competidores com vaga garantida nas etapas da BFTS. Isso aconteceu devido a uma lesão na virilha sofrida no primeiro evento em Nova York e uma entorse no tornozelo sofrida uma semana depois em Anaheim. As duas lesões não eram tão graves e não o impediram de montar, mas segundo o competidor as dores o incomodavam e atrapalharam seu desempenho, por isso ele decidiu ficar duas semanas afastado do Campeonato.. Rubens Barbosa voltou 100% fisicamente e teve dois eventos de isenção para tentar se manter na elite da Montaria em Touros. No primeiro em Oklahoma City, ele chegou a liderar após vencer o Round 3 e terminou na quarta posição, mas quis o destino que sua segunda chance fosse em Atlanta, evento de apenas um dia, onde ele só pode montar em um touro e acabou caindo. Uma semana depois, seu desafio agora era o Touring Pro Division onde como recompensa por seus esforços e seu constante otimismo ele terminou em segundo lugar em um evento no estado do Tennessee. No último fim de semana ele iria competir em outra etapa do TPD, desta vez em San Antonio, mas enquanto se preparava dentro dos bretes o touro imprensou seu pé contra o portão e as fortes dores o fizeram desistir de montar. Mas não houve nada de mais grave e já neste fim de semana ele estará competindo novamente. Rubinho sabe que pode voltar a principal divisão a qualquer momento e que alguns bons resultados o garantem novamente na Final Mundial em outubro. Apesar de ainda haver chances matemáticas de brigar pelo sonhado Título Mundial, o competidor não faz promessas, pois para ele o futuro a Deus pertence: “Quero apenas fazer meu trabalho e parar nos meus touros. A vitória vem de Deus.”

 

Rubens Barbosa sempre foi influenciado por seu grande ídolo, o Tri-Campeão Mundial Adriano Moraes, de quem ele já recebeu muito apoio e conselhos e diz que trabalha para seguir seus passos. Focado e concentrado, Rubinho também é disciplinado quanto a treinos e preparo físico, pois sabe da importância que isso tem na carreira de um competidor de elite. Outra característica forte neste guerreiro é sua fé e para ele o segredo por se manter calmo e concentrado é o bom relacionamento que tem com Deus. Além de tudo isso, segundo ele a vontade de sempre estar entre os melhores do mundo o faz ter força e muita vontade de lutar cada dia mais. Homem guerreiro e atleta incansável, assim é Rubens Barbosa, um exemplo de vida e que encerrou esta entrevista deixando um conselho: “Sem perder a humildade, é preciso lutar sempre e colocar Deus a frente de tudo. As dificuldades existem, mas não se pode desistir nunca, pois somos capazes de superá-las.”

***

Nota: Esta matéria é a primeira de uma série inédita que pretende contar um pouco mais sobre a vida e a carreira dos atletas que representam o Brasil no Campeonato Mundial de Montaria em Touros da PBR e foi baseada em uma entrevista exclusiva concedida por Rubens Barbosa a Abner Henrique, responsável pelo conteúdo do Blog Arena Bruta. A reprodução total ou parcial do conteúdo exposto aqui será autorizado somente se houver menção da devida fonte.

Fotos: André Silva – PBR Brazil / Bull Stock Media – PBR

Agradecimentos: Daniela Quarezemin Barbosa / Luciana Quarezemim

Anúncios

3 comentários em “Vida de Herói : RUBENS BARBOSA

  1. Luis Fabiano Luziano
    28 de novembro de 2015

    Ao Amigo e Irmão:

    Rubens Barbosa

    Li hoje a história de sua vida, desde o começo, ainda quando VC era um menino, e sonhava em ser um competidor de montarias em touros.
    Hoje VC, não só pra mim, como para muitas pessoas, é um ídolo em montarias em touros, um exemplo de pessoa, amigo e pra mim um irmão de sangue que não tive, sempre muito humilde.

    Parabéns pela sua carreira, e que Deus te ilumine, te proteja e te abençoe.

    De seu amigo,
    Luís Fabiano Luziano.

  2. Gustavo Stefani
    15 de março de 2012

    parabéns Bill vc é um exemplo d superação, garra, força d vontade e principalmente a fé….Deus te abençoe sempre….mantendo sempre essa grande qualidade q Deus lhe deu..além do talento a humildade…..forçaaaa sempre garoto!!!!

  3. rogerioveronezerio Veronez
    8 de março de 2012

    Parabéns pela matéria. Rubens é um batalhador e merece estar entre os melhores do mundo. Ainda veremos ele com a fivela de Campeão Mundial.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: