ARENA BRUTA – Rodeio com mais conteúdo

O melhor conteúdo sobre o verdadeiro esporte do Cowboy

National Finals Rodeo Montaria em Touros

Shane Proctor já estava no lombo de seu touro, dentro do brete, quando teve a confirmação de que era o Campeão Mundial da PRCA na Montaria em Touros. Mesmo concentrado para sua última montaria, talvez em sua cabeça passou um filme, desde o  início difícil de sua carreira até este ano, quando ele fez muita gente relembrar os bons tempos de Jim Sharp, Tuf Hedeman e Adriano Moraes, brilhando nas duas principais entidades do Rodeio Mundial

(por @HenRiQue_Bad) Quando J.W. Harris caiu de Drop Tine (Beutler & Son) no último dos 10 Rounds da WNFR 2011, ele não apenas deixou escapar a chance de conquistar seu quarto Título Mundial consecutivo como também deixou que Shane Proctor acabasse de forma justa sua heroica temporada. Proctor entrou na arena montando Black Attack (D&H Cattle Co.) já sabendo que havia conquistado seu primeiro Título Mundial, mas a comemoração ficou pra depois. O competidor resistiu apenas ao primeiro pulo do animal e depois de duas voltas pendurado na corda foi ao chão. Ao cair, Shane levou o braço de apoio (esquerdo) ao chão e no mesmo instante recebeu um pisão do touro fazendo com que todo o impacto fosse para seu braço, o que ocasionou numa fratura exposta acima do cotovelo. A outra pata do touro ainda atingiu a cabeça do Campeão, que mesmo usando capacete foi apagando lentamente e saiu da arena desacordado. Shane Proctor foi representado pelo amigo LJ Jenkins na cerimônia de premiação logo em seguida, mas no final da noite estava presente no banquete de encerramento da temporada, onde recebeu sua fivela de ouro e sua sela personalizada como troféu. Ele deve voltar as arenas no final de janeiro ou no máximo nas primeiras semanas de fevereiro.

A sequência de fotos mostra o acidente de Proctor: (1) e (2) enroscado no touro; (3) logo após a pisada nas costas e na cabeça; (4) desacordado esperando atendimento

Foi um final totalmente imprevisível e diga-se de passagem, assustador, mas coroou com méritos uma das carreiras que mais ascendeu nos últimos anos. Quando Proctor começou competir na PBR a seis anos, ele trabalhava de empregado durante a semana para poder pagar as despesas de viagens. Este ano, ele teve como meta a classificação para a Final Mundial da PRCA, mas não abandonou a PBR, onde venceu o evento de San Antonio e terminou em nono lugar no Ranking Final. Foi uma temporada brilhante e cansativa, já que ele teve que se dividir entre os dois Campeonatos, montando quarta, quinta e domingo na PRCA e sexta e sábado na PBR. Esta maratona lembrou os bons tempos de Adriano Moraes, Michael Gaffney, Tuf Hedeman, Jerome Davis e Jim Sharp, que conciliavam como ninguém os eventos das duas entidades. Shane Proctor viajou milhares de quilômetros e teve que montar em cerca de 150 touros este ano, conquistando importantes vitórias como Denver, Cheyenne e Calgary, o maior Rodeio do Canadá, fechando a temporada com um total de US$ 480 mil em prêmios. Tanto empenho trouxe prejuízos e ele sofreu uma lesão na virilha bem na reta final da temporada da PBR, que o impediu de buscar uma posição melhor.

Proctor assumiu a liderança do Ranking da PRCA no final de janeiro e não saiu mais da ponta. Durante a temporada também foi Campeão do Xtreme Bulls, um campeonato paralelo que reúne os competidores da elite da entidade e chegou a Final Mundial com US$ 40 mil de vantagem sobre o principal concorrente. Em Las Vegas tudo começou bem, a lesão na virilha parecia não atrapalha-lo, e após duas noites ele era o único dos 15 competidores que não havia caído de nenhum touro. Mas nos Rounds seguintes ele caiu de três touros consecutivos e viu J.W. Harris, mesmo com o pé quebrado vencer dois Rounds e diminuir a diferença entre eles para menos de US$ 15 mil. Mas Shane  entrou na reta Final da disputa sabendo que precisava parar em seus touros e foi o que ele fez. Na sexta-feira, ele teve a opção de repete, mas como a nota 69 pontos lhe daria direito a uma premiação, ele preferiu não arriscar uma nota maior. Esta estratégia, usada também por Silvano Alves durante a temporada na PBR foi muito criticada, porém para Shane Proctor, naquele momento o que importava eram os dólares a mais que seu concorrente, que havia caído. No último dia de competição nada ainda estava definido. Proctor só precisava parar, e seria Campeão independente dos outros resultados. O outro único que tinha chances matemáticas era J.W. Harris, que precisava parar e ainda contar com uma combinação de resultados, como a queda de Proctor, LJ Jenkins e Bobby Welsh para garantir o Tetracampeonato. Mas quando Jenkins e Welsh venceram seus touros, Shane Proctor já pode ter a certeza que a Fivela de 2011 era sua, e a queda de Harris logo na sequencia, quando ele já estava nos bretes pronto para fazer a última montaria da WNFR, foi apenas a confirmação da realização de um sonho. Shane Proctor parou em cinco dos 10 touros que montou na final e fechou em quarto lugar na classificação da National Finals Rodeo. Apesar de não ganhar nenhum Round ele repetiu o feito de Dustin Elliott em 2004, sendo Campeão Mundial logo na primeira vez que competiu em Las Vegas.

LJ Jenkins montando White Magic

J.W. Harris já teve finais mais fácil. O competidor que dominou os três últimos campeonatos da PRCA, ganhando Título mesmo quando só pode montar em quatro Rounds da WNFR, este ano teve um concorrente duro na queda. Harris, que também sofreu lesões durante a temporada sabia que Shane Proctor, mesmo machucado ia dar trabalho. O texano quase viu a chance de seu quarto Mundial consecutivo ir por água abaixo ainda na primeira noite, quando ele bateu violentamente as costas no chão, agravando uma lesão antiga. Segundo ele, pouco depois que voltou para os vestiários suas pernas paralisaram e ele não conseguia se manter em pé. Superado este problema, James Williams continuou montando, talvez motivado pelo fraco desempenho de seu concorrente nos Rounds seguintes. Na noite de domingo, ele tirou a invencibilidade do touro Bailey Hou (MoBetta Bull co.), que nunca havia sido montado com sucesso em 27 tentativas na carreira, mas após marcar a maior nota da noite, ele quebrou o pé ao descer do animal. Em entrevista mais tarde ele declarou ironicamente: “Não vai me atrapalhar em nada. Não uso meu pé quando estou em cima do touro.” Com este espírito de guerreiro ele lutou até o fim, mas terminou o mundial em segundo lugar após parar em apenas quatro dos 10 touros da Final.

Mesmo distante da briga pelo Título Mundial, quem brilhou foi LJ Jenkins. O astro da PBR chegou a sua primeira National Finals Rodeo na 14ª posição do Ranking, com uma diferença de US$ 104 mil para o líder. Brigar pela Fivela era praticamente impossível, mas Jenkins tinham certamente outros objetivos em Las Vegas. Nos sete primeiros Rounds ele parecia apagado e num geral, parou em seis dos 10 touros e mesmo sem vencer nenhum Round ganhou o Rodeio com a maior premiação do mundo pela regularidade, terminando em terceiro lugar na Classificação Final do Mundial 2011. Larry Jr. foi Campeão da PBR Finals em 2006 e se junta agora aos lendários Ted Nuce (PRCA/85 e PBR/94) e Ty Murray (PRCA/98 e PBR/99) como os únicos competidores da história a terem vencido as Finais Mundiais das duas entidades. O segundo melhor em Las Vegas foi Bobby Welsh, que somou 10 pontos a menos que Jenkins e foi o outro único competidor a parar em seis touros em Las Vegas. Welsh entrou na WNFR na nona colocação e fechou a temporada em quarto lugar, ficando pela quarta vez entre os cinco melhores da PRCA. Outro grande destaque foi o novato Tyler Willis que parou em cinco touros, terminando a WNFR em terceiro lugar, fechando o Mundial na sexta colocação.

Chandler Bownders montando Crystal Springs Peach no Round 6

Chandler Bownders, o melhor novato desta temporada fez a maior nota da 53ª WNFR, 91 pontos ao montar RMEF Bugle (Jeff Robinson) no Round 2. Bownds, que se profissionalizou este ano, também venceu o Round 6, terminando o Mundial na oitava posição. Outro novato de destaque foi Jacob O’Mara, o mais jovem competidor das Finais. O’Mara venceu o Round 3 montando Big Iron (Diamond S / 4 L), segundo melhor touro da temporada e chegou a estar em terceiro lugar na classificação do Mundial durante as Finais, mas depois de encerrar a semana com apenas quatro paradas, fechou como o quarto melhor competidor da Montaria em Touros no Mundo. Quem não foi nada bem novamente foi Wesley Silcox. O Campeão Mundial de 2007, chegou as Finais na terceira colocação no Ranking como um dos favoritos ao Título, mas parou em apenas dois touros e nem a vitória e os 90.50 pontos no último dia de competição foram suficientes para deixa-lo em uma boa colocação. Silcox terminou a temporada como o sétimo do Ranking. O show a parte nestas Finais ficou por conta dos touros e das 150 montarias válidas no evento, houve apenas 55 paradas. O domínio maior aconteceu no Round 5, quando apenas três competidores conseguiram nota e no Round 7, quando apenas dois concorrentes completaram os oito segundos.

King of Hearts derrubando Wesley Silcox

O melhor Touro da Wrangler National Finais Rodeo 2011 foi King of Hearts, de propriedade da Corey & Horst / Flying Diamond, boiada do tropeiro Mike Corey do estado de Washington. King of Hearts esta nas arenas desde 2008 e participou das três ultimas Finais Mundiais da PBR e da PRCA. Terceiro melhor Touro da PRCA em 2010 e 2011, ele tem um retrospecto de 65 apresentações e apenas 11 paradas, tendo sido avaliado com nota superior a 45 pontos 38 vezes. Este ano, ele foi responsável pela maior nota da PBR Finals, 93.25 pontos concedida a Robson Palermo no Round Final. Este ano durante a WNFR ele derrotou Clayton Savage no Round 5 e o Campeão Mundial Wesley Silcox no Round 8, mantendo a invencibilidade em todas as vezes que esteve no evento. Na PBR Finals ele já fez seis apresentações, e além de Palermo, apenas Shane Proctor conseguiu monta-lo, uma vez em 2009 e outra em 2010. King of Hearts foi eleito por votação, porém o Touro que recebeu a maior nota da WNFR 2011 foi Shepherd Hills Tested, da D&H Cattle Co. Com descendência de Hotel California, respeitado animal da PBR que só foi montado duas vezes entre 2002 e 2005, Shepherd Hills Tested ficou com a média de 46.50 pontos nas duas apresentações que fez. O touro estreou no Rodeio em maio deste ano, e ainda não foi montado por oito segundos em 11 apresentações, incluindo uma na Final da PBR.

Fotos: PRCA / Tom Donoghue

Siga @Blog_ArenaBruta // Curta Blog ARENA BRUTA

Anúncios

Um comentário em “National Finals Rodeo Montaria em Touros

  1. Erik Alvesfreitas
    13 de fevereiro de 2012

    eli com tinua sendo o melhor do mundo no meu comseito

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Informação

Publicado em 26 de dezembro de 2011 por em PRCA, WNFR 2011.
%d blogueiros gostam disto: