ARENA BRUTA – Rodeio com mais conteúdo

O melhor conteúdo sobre o verdadeiro esporte do Cowboy

Iron Cowboy Jaguariúna

IRON COWBOY JAGUARIÚNA

 

(by @HenRiQue_Bad)

 

Rubens Barbosa vs. Pesadelo (Foto André Silva)

Pelo segundo ano consecutivo o Jaguariúna Rodeo Festival trouxe a arena uma competição de Montaria em Touros em formato diferenciado, o Iron Cowboy, que tem como objetivo principal coroar o competidor que obtiver o melhor resultado após uma serie de montarias realizadas na mesma noite. A competição contou com a presença de 15 competidores da PBR Brazil, definidos de acordo com a classificação da etapa do Brahma Super Bull realizado na mesma arena na semana anterior. Os 15 classificados disputaram dois Rounds (quinta-feira e sexta-feira) e os oito melhores voltaram para a Fase Final do Desafio, na noite de sábado onde foram divididos em quatro ‘chaves’ e o competidor com melhor nota em cada ‘chave’ avançava para a fase seguinte e o outro era eliminado. A importância da competição se deu também pelo fato de que o Campeão embolsaria R$ 100 mil, que seriam convertidos em dólares e valeriam para o Qualifier Standings da PBR, Ranking que leva em consideração o dinheiro ganho pelos competidores da entidade em todos os eventos sancionados por ela e que é usado para definir os competidores que participaram da Final Mundial em Las Vegas no mês de outubro.

Foto André Silva - @PBRBrazil

ROUND 1 (Quinta-Feira)

Além dos brasileiros que representavam os estados de São Paulo, Minas Gerais, Goiás, Mato Grosso do Sul, Espírito Santo e Sergipe, as duas primeiras noites do Iron Cowboy trouxe novamente a arena o mexicano Alfonso Orozco, que havia parado em um dos dois touros que montou na semana anterior. Alex Venturine (Nova Venécia/ES) montou o touro Legendário (Paulo Emio) e obteve a maior nota da noite, 88.75 pontos. O segundo melhor do primeiro Round foi Davi Henrique de Lima (Mirante do Paranapanema/SP) montando Murubú (3 B / Bentinho) com 87.75 pontos, seguido de Marco Antonio Eguche (Poá/SP) com 87.25 pontos em Grafiti (Silmar Colombo). Rubens Barbosa (Uberlândia/MG) ficou em quarto lugar montando Arataca (Fortaleza) com 86.50 pontos e Leandro Tabarelli (Ilha Solteira/SP) que obteve 86 pontos no touro Trombadinha (Junior Zamperline) foi o quinto. Cláudio Crisostomo (Barro Alto/GO) foi o outro único competidor a obter nota na primeira noite, 65.50 pontos em Capa de Revista (Fortaleza).

Edmilson Gonçalves Vs. Magnifico (Foto André Silva)

Na segunda noite do Iron Cowboy o show foi dos touros, que derrubaram 12 dos 15 competidores, com destaque para Soluço (Fortaleza) que recebeu nota 45.50 pontos ao derrubar o competidor Alex Venturine (Nova Venécia/ES). Das três paradas da noite, Edmilson Gonçalves (S. J. Rio Preto/SP) fez a melhor nota montando Magnífico (Paulo Emilio) com 89.75 pontos. Edevaldo Ferreira (Andradina/SP) foi o segundo melhor montando R7 (Fortaleza) com 89 pontos e José Donizett da Silva (S. J. dos Campos/SP) foi o terceiro montando Ditador (Paulo Emilio) com 83.25 pontos. Apenas nove competidores obtiveram nota nas duas noites, assim, todos que pararam com exceção de Cláudio Crisostomo (Barro Alto/GO), que fez a menor nota, se classificaram para a noite de sábado.

Foto André Silva - @PBRBrazil

ROUND 3 (Quartas-de-Final)

Na noite decisiva os competidores se enfrentaram em sistema de ‘chaves’, definidas pela colocação na fase classificatória e quem quizesse chegar ao titulo teria que passar por três dos mais duros touros do país.

CHAVE 1 – Edmilson Gonçalves (1º) vs. José Donizett (8º)

Edmilson Gonçalves (S. J. Rio Preto/SP) que havia ficado em Segundo lugar nos dois eventos realizados no último fim de semana, abriu a noite montando Orgulho (Fortaleza), mas acabou caindo com 4.3 segundos. José Donizett (S. J. dos Campos/SP) montou Arruma a Mala (Silmar Colombo) e permaneceu 6.1 segundos, avançando de fase, já que a regra diz que no caso dos dois competidores caírem antes dos oito segundos, vence quem ficar o maior tempo sobre o animal.

CHAVE 2 – Alex Venturine (3º) vs. Rubens Barbosa (6º)

Alex Venturine (Nova Venécia/ES) que havia vencido um dos Rounds da etapa de Jaguariúna do Brahma Super Bulls na semana passada, montou Saruê (Junior Zamperline) e caiu com 6.8 segundos. Seu concorrente direto, Rubens Barbosa (Uberlândia/MG) montou o touro Babado (Peninha) e alcançou os oito segundos, obtendo nota 89.75 pontos, passando para as semi-finais.

CHAVE 3 – Edevaldo Ferreira (2°) vs. Leandro Tabarelli (7º)

Edevaldo Ferreira (Andradina/SP) que é o maior vencedor de ventos da PBR Brazil montou o touro Mundo Acabado (Silmar Colombo), mas permaneceu apenas 2.7 segundos. Esta chave foi definida nos detalhes, pois Leandro Tabarelli (Ilha Solteira/SP) também não permaneceu os oito segundos no touro Índio (Paulo Emilio), e se classificou com apenas 0.2 segundos a mais que seu concorrente.

CHAVE 4 – Davi Henrique de Lima (4º) vs. Marco Antonio Eguche (5º)

Esta foi a única chave da primeira fase em que os dois competidores obtiveram nota. Davi Henrique de Lima (Mirante do Paranapanema/SP) montou o touro Massimus (Paulo Emilio), mesmo animal que havia lhe dado a vitória na semana anterior e repetiu a mesma nota, 91.25 pontos. A situação ficou difícil para Marco Antonio Eguche (Poá/SP), que precisava parar os oito segundos e obter uma nota superior. O competidor que já esteve presente em duas etapas da BFTS este ano, montou Chamego (3 B / Bentinho) e marcou 89.75, mas a vitória ficou mesmo com Davi Henrique, por meio ponto.

Foto André Silva - @PBRBrazil

ROUND 4 – Semi-Final

A fase semi-final confrontou os vencedores das chaves 1 e 2 e posteriormente os vencedores das chaves 3 e 4, porém nenhum dos quatro competidores obteve nota nesta fase, e a decisão ficou pelo tempo de permanência em cada touro.

 

SEMI-FINAL 1 – José Donizett vs. Rubens Barbosa

José Donizett (S. J. dos Campos/SP) que este ano já venceu um Round na etapa de Sumaré, montou Agressivo (Paulo Emilio), touro invicto na PBR Brazil e que é o primeiro touro escolhido para o Duelo Brahma no campeonato de 2011, mas permaneceu apenas 1.9 segundos. Rubens Barbosa (Uberlândia/MG) que também tem um Round vencido na temporada montou Masquerano (Junior Zamperline), touro que participou do Duelo Brahma na etapa de Catanduva, e caiu com 2.6 segundos, mas se classificou para a Final do Iron Cowboy.

SEMI-FINAL 2 – Leandro Tabarelli vs. Davi Henrique de Lima

A segunda semi-final Leandro Tabarelli (Ilha Solteira/SP) montando Britânico (Paulo Emilio) e Davi Henrique de Lima montando Hilux (Junior Zamperline). Tabarelli caiu com 2.8 segundos e Davi Henrique que já venceu três Rounds na temporada, se classificou para a Final do Iron Cowboy mesmo caindo, mas com o tempo de 5.5 segundos.

Rubens Barbosa vs. Pesadelo (Foto André Silva)

ROUND 5 – Final

A Final confrontou dois jovens destaques da PBR Brazil e trouxe um peso a mais de responsabilidade, pois eles, que nunca tiveram nenhuma experiência internacional, sabiam que quem vencesse estaria matematicamente classificado para a Final Mundial, pela premiação ganha.

Rubens Barbosa (Uberlândia/MG), que foi uma das revelações da temporada passada, mas ficou muitos meses afastados depois de um acidente, colocou a mão no titulo depois de uma belíssima apresentação no touro Pesadelo (3 B / Bentinho) que lhe rendeu extraordinários 93 pontos, e uma demorada salva de palmas do público.

Rubens Barbosa Iron Cowboy Brasil 2011

Mas nada ainda estava definido, pois Davi Henrique de Lima (Mirante do Paranapanema/SP) que é um dos destaques da temporada 2011, montaria o touro Mistério (Junior Zamperline) que já havia dado 92.25 em Paranavaí, 92.50 em Catanduva e 92.75 em Aparecida do Taboado este ano. Davi Henrique caminhava para uma excelente nota mas caiu com 7.3 segundos, e a vitória ficou com o mineiro Rubens Barbosa, que embolsou os R$ 100 mil oferecidos ao Campeão do Iron Cowboy. Com esta premiação o competidor garantiu vaga entre os 40 competidores que montarão na Final Mundial, pois os classificados são definidos de acordo com o Qualifier Standings, que leva em consideração todo o dinheiro ganho nas competições sancionadas pela PBR na temporada e Rubinho alcançou após esta vitória a 19ª posição com US$ 57.659. O competidor também deu um salto importante na classificação do Ranking do Touring Pro Division da 103ª para a 2ª colocação. O Ranking do TPD considera o dinheiro ganho nas divisões de acesso da PBR, equivalentes a segunda divisão e qualifica os competidores a participarem da BFTS, divisão principal. Com isso, ele já está garantido para integrar o TOP 40 após o próximo corte que eliminará cinco competidores da elite e promoverá cinco do TPD, daqui a três eventos. Ele também pode ser convidado a entrar no campeonato como alternate, ou seja, substituindo algum competidor lesionado em uma etapa.

Agradecimentos: Ao grande amigo e parceiro André Silva, fotografo oficial da PBR Brazil e responsável pelo Departamento de Imagem e Comunicação da entidade, que sempre fornece prontamente as melhores fotos de cada evento para o Arena Bruta. Acessem o site da PBR Brazil http://www.pbrnow.com.br ou fique por dentro das novidades do Brahma Super Bull PBR no Twitter Oficial http://www.twitter.com/pbrbrazil ou @pbrbrazil

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Informação

Publicado em 19 de maio de 2011 por em Uncategorized.
%d blogueiros gostam disto: